Carregando

Buscar

Futebol

Governo do Rio de Janeiro aprova protocolo médico e aguarda nova reunião para definir datas do Carioca

Compartilhe

Nesta sexta-feira, o governo do Rio de Janeiro aprovou o protocolo médico proposto pelos clubes representantes da primeira divisão do Campeonato Carioca. Resta analisar a data de retorno da competição. Uma nova reunião da Ferj será agendada para definir isto.

O governo considerou um “passo importante” em direção ao retorno do futebol no estado. Na reunião que se seguirá, uma votação será realizada a título de definição da data, se a maioria simples for consensual, a volta deverá ser confirmada.

Foto: Getty Images

O pronunciamento do governo:

“Os pontos apresentados no protocolo “Jogo Seguro” representam um grande avanço e um passo muito importante para um planejamento seguro do retorno dos jogos de futebol. O documento está baseado em padrões internacionais e prevê medidas de segurança, higiene e isolamento social, para evitar o risco de contágio da Covid-19 entre os envolvidos. Inclusive, atende ao decreto do Governo do Estado, com a realização de partidas mediante ausência de público.

A data para retomada das competições está sendo analisada, diante dos quesitos necessários para a realização dos jogos, considerando as estatísticas do cenário da Covid-19 no Estado, e também os posicionamentos dos clubes e dos atletas envolvidos”.

Felipe Bornier, secretário do esporte, lazer e juventude do Rio de Janeiro, na última quarta-feira, já havia se posicionado a respeito da volta do campeonato: “Nossa prioridade é o retorno. Se a gente consegue controlar a curva, o número de leitos e conseguir oferecer segurança a todos os envolvidos, nada impedirá o retorno”.

Fluminense e Botafogo se mantém contrários ao retorno e, ainda que a maioria vote a favor. O Tricolor das Laranjeiras, por exemplo, considera que isso acarretaria numa mudança de regulamento, não podendo obrigá-los a concordar em participar. Lembrando também que, a curva de contágio será levada em consideração, e ainda não houve a diminuição dos casos de Covid-19.

Tags

Em destaque