Carregando

Buscar

Futebol

Bandeira de Mello analisa contratações polêmicas da sua gestão no Flamengo

Compartilhe

Eduardo Bandeira de Mello assumiu o cargo de presidente do Flamengo no final de 2012 e permaneceu até o fim de 2018. Sua administração foi bastante elogiado do ponto de vista financeiro e estrutural, mas criticada pelo lado esportivo fraco e por uma certa ”passividade” com as derrotas, segundo alguns torcedores. Um ano e meio após sua saída, o ex-presidente fala sobre algumas contratações polêmicas.

“Eu não me arrependo de ter contratado o Guerrero. Ele foi super importante para o Flamengo. Teve o contratempo no final da passagem dele pelo clube, que foi o caso de doping que eu não consigo entender de onde foi surgir aquilo. Foi uma covardia que fizeram com o jogador e com o Flamengo também. Você, de repente, se vê privado de seu principal jogador na reta final de dois campeonatos. Eu acho que o Guerrero é um jogador excepcional. Muitas vezes as pessoas confundem o Guerrero com aquele 9 “rompedor”, centroavante paradão tipo o Fred, e acham que o Guerrero é esse tipo de jogador. Não é. Ele até tem uma boa presença de área, mas ele faz um trabalho fantástico saindo da área, se deslocando, tocando de primeira com os dois pés e é um jogador inteligentíssimo. Ele está com 36 anos de idade e acho que ainda vai rodar um bocado. Não me arrependo não. Ninguém podia imaginar o que aconteceu naquele ano de 2017, mas não me arrependo não”, disse. Guerrero jogou 115 jogos pelo Flamengo e marcou 43 gols.

Foto: Wikimedia Commons
João Felix

O ex-mandatário também defendeu a contratação de Darío Conca, meia argentino ex-Vasco e ídolo do Fluminense:

“O Conca era um excelente jogador, ninguém nega a qualidade do Conca. Ele veio para o Flamengo e teve um problema de saúde agravado e acabou não conseguindo jogar. O que o Flamengo desembolsou para ter o Conca não foi um valor muito expressivo, pois ele veio sem custo nenhum. A partir do momento que ele entrou pela primeira vez, ele começou a receber um salário, que eu não me lembro nem qual era, mas que era muito abaixo do que ele já tinha ganho antes em outras passagens”, lembrou.

Foto: Wikimedia Commons

Everton Ribeiro, o ”miteiro” rubro-negro não ficou de fora dos elogios de Bandeira: “Não vou ficar em cima do muro não: Éverton Ribeiro. Eu acho que o Everton Ribeiro, hoje, é o melhor jogador do Brasil na minha opinião. É um jogador que quando você vê tocar na bola já vale o ingresso. Toca na bola com uma categoria, fora todas as outras as habilidades dele. O Flamengo hoje é um time fantástico, tem Gabigol, Bruno Henrique, Diego que é da minha época, que quando entra arrebenta, e vários outros como o Arrascaeta, a zaga, os laterais de alta categoria. Mas eu confesso que, pra mim, quem mais me enche os olhos é o Everton Ribeiro”, afirmou. 

Em destaque