Carregando

Buscar

Futebol

Montenegro abre o jogo sobre contratações, Pimpão, Yaya e volta do futebol: “Pra que jogar entre mortos?”

Compartilhe

Em entrevista realizada nesta tarde ao programa “Fora de Jogo”, do “Esporte Interativo”, Carlos Augusto Montenegro, Presidente do Botafogo, abriu o jogo sobre diversos assuntos que passam pelo momento do clube, dentre eles, contratações de astros europeus, “faísca” com Pimpão, Yaya Touré e volta aos gramados.

Sobre a volta do Campeonato Carioca, o mandatário não vê sentido em tanta pressa por retorno em junho, disse não haver lógica em treinar “entre mortos”, e que teria como fazer isto em julho, com mais calma.

“Não entendo essa pressa toda. Vasco e Flamengo se reunindo e querendo a volta em junho do Campeonato Carioca. Os clubes pequenos querem receber as cotas de televisão, pois só jogam esse torneio, e daí eu até entendo, mas o Flamengo nem televisão tem ainda”, disse.

João Felix

“Teremos que esperar todos os estados voltarem para pensar em Brasileirão. De qualquer forma, teria que esperar depois do Carioca, então porque não faz em julho? se me explicarem essa lógica eu até respeitaria e pediria desculpa”, completou.

Montenegro abriu o jogo sobre o Yaya Touré, o qual chamou de “moleque”: “A negociação com o Honda nos “atrapalhou”. Pensei que, como foi tão liso e transparente, seria a mesma coisa com outro jogador europeu, mas o Yaya foi um moleque, não pisa mais no Botafogo”, disparou.

Com o fracasso na negociação, o mandatário ainda disse que, por enquanto, não negociará mais nenhum europeu, por trauma: “Vou deixar passar um pouco esse trauma, para pensar em contratar mais uma estrela” Rechaçando a possibilidade de contratar Obi Mikel, e os gêmeos Rafael e Fábio. Segundo Montenegro, aliás, foi a conversa com Mikel que fez Yaya ligar para o clube, por ciúmes.

Foto: Twitter

O presidente falou, também, sobre a saída do Gustavo Bochecha, para o Juventude: “Apesar de sair de graça, nós mantivemos 50% dos direitos econômicos do atleta, além de que, estamos fazendo uma economia de R$1 milhão por ano, que era o que ele recebia para não jogar, achamos um excelente negócio, o ciclo dele acabou no clube”, revelou.

Para finalizar, sobrou críticas para o Rodrigo Pimpão, que recentemente criticou as investidas do clube em estrelas, tendo dívidas com o atleta: “O Pimpão é um cara amargurado, não deixou saudades nenhuma no Botafogo, ninguém o receberia no aeroporto. No caso da dívida, não é nada de outro mundo, devemos um mês de salário e direitos de imagem, e, mesmo assim, era caso para resolver internamente”, finalizou.

Tags

Em destaque