Carregando

Buscar

Futebol

Barcelona-EQU x Vasco: Edmundo relembra título da Libertadores em 1998 e dupla de ataque poderosa

Compartilhe

A partida entre Barcelona-EQU e Vasco pela Libertadores 1998 será reprisada e o “Esporte Espetacular” entrevistou alguns craques importantes da história do clube. Entre eles, Edmundo, que relembrou a principal mudança na equipe que levou o clube à conquista do título continental.

O ídolo vascaíno relembrou que, em 1997 – ano da conquista do Campeonato Brasileiro -, o ataque era formado por ele e Evair, porém a mudança primordial ocorreu para a próxima temporada: a chegada de Luizão e Donizete. Mas o que ninguém sabia é que a escolha dos substitutos teve uma influência do “animal”.

“O Luizão estava no La Coruña, mas não estava feliz lá na parte pessoal. Queria voltar. Mas sempre foi um grande goleador. E o Donizete tinha uma força incrível, velocidade pelo lado. Eu conversei muito com o doutor Eurico Miranda (na época, era o vice-presidente de futebol do Vasco) sobre eles. Eles lembravam muito o que éramos eu e o Evair no Palmeiras, de 93 e 94. Em várias conversas que tivemos chegamos a um consenso de que eles eram os substitutos”, relatou o comentarista. 

João Felix

O ex-atacante, que marcou 29 gols e muitos deles com passes de Evair em 33 jogos, foi vendido para a Fiorentina após o tricampeonato do Vasco. Porém, mesmo à distância, sugeriu os jogadores para as vagas do ataque.

Eurico Miranda, na época vice-presidente do Vasco, contratou Donizete e Luizão, que se destacaram conquistando o título inédito na Libertadores. Mas a dupla não teve início fácil. A responsabilidade era substituir à altura Edmundo e Evair, campeões no ano anterior.

“Foi complicado, não foi fácil, a torcida ainda estava com o coração apegado ao Edmundo e ao Evair. A campanha da Libertadores começou com duas derrotas e um empate nas três primeiras rodadas da fase de grupos. Só tínhamos um gol marcado. Então, imagina”, lembra Dozinete.

Luizão completou: “O Donizete gostava de jogar mais pelos lados, eu mais centralizado. Nosso estilo de jogo era parecido muito de ir em busca da vitória, dois atacantes brigadores, atacantes que brigavam muito pelo resultado. A gente nunca quis saber quem era o melhor, quem não era. Então isso ajudou bastante”.

Para o comentarista Pedrinho, que integrou os elencos do Vasco de 1997 a 98, o novo ataque tinha mais força física, velocidade e compromisso tático, e também comparou os dois times (com e sem Edmundo). 

“O diferencial das duplas, eu acho que a gente sempre sabia que o Edmundo resolveria e, em 98, todos apareciam porque não tinha a genialidade do Edmundo”

Luizão marcou 29 gols na Libertadores - Foto: Getty Images

A campanha de 1998 foi inesquecível. O Vasco marcou 17 gols, sendo 12 feitos por Donizete e Luizão. Este, no entanto, disse que foi um período maravilhoso da carreira e o reconhecimento do torcedor vascaíno não tem preço.

“Eu brinco com todo mundo no Vasco que passaram atacantes melhores do que eu e o Donizete. Mas quem ganhou o título mais importante da história do Vasco, de atacante, fomos eu e ele. Então, isso não tem preço, cara. Foi um período maravilhoso que vivi no Vasco”

A partida será às 16h (horário de Brasília) e você pode acompanhar pelo app 365Scores.

Tags

Em destaque