Carregando

Buscar

Futebol

Marinho protesta por atrasos em direitos de imagem do Santos: “Se fosse por dinheiro, já teria saído”

Compartilhe

Recentemente, o Santos comunicou um acordo de corte de 70% no salário de seus atletas, o que gerou um protesto de parte dos jogadores. Pois bem, a equipe paulista parece estar passando por novos problemas relacionados ao vencimento de seu elenco. A diretoria está em atraso de quatro meses de direitos de imagem, o que, para um grupo do time, representa mais um desconto.

Mais precisamente, com o abatimento dos direitos de imagem, restam apenas 18% de salário para alguns jogadores. Isto porque, a composição salarial deles é dividida entre os direitos e carteira.

Foto: Twitter
João Felix

Marinho foi um dos afetados pelo corte e acabou desabafando após ser questionado na Web: “Não preciso provar para ninguém o meu caráter, todos que me conhecem sabem, então, fique em paz amigo! Se fosse por dinheiro já teria saído do clube, 4 meses que não recebo, estou por respeito e por gostar do clube [sic]”, disparou.

O que parece ser um pesadelo para o clube santista, pode ainda piorar. Isto porque, com este corte, há possibilidade de qualquer atleta afetado pedir judicialmente a rescisão contratual.

“O artigo 31 da Lei Pelé, que inclusive teve uma modificação na sua redação em 2015, passou a prever que o atraso no todo ou em parte por três meses ou mais, inclusive, do direito de imagem, é motivo para rescisão do contrato especial de trabalho desportivo. Então, se um clube deixar de pagar o direito de imagem por três meses ou mais, no todo ou em parte, corre o risco de o atleta ingressar na Justiça do Trabalho pedindo a rescisão do contrato, inclusive, pagando a multa”, afirmou João Henrique Chiminazzo, mestre em direito desportivo pela Universidade de Lérida (ESP)

Tags

Em destaque