Carregando

Buscar

Futebol

CBF e especialistas chegam a consenso sobre punição do Cruzeiro: “Irreversível”

Compartilhe

A fase que o Cruzeiro passa, tanto em campo quanto administrativamente, é sombria. Na tarde da última terça-feira, o clube recebeu uma dura sanção da Fifa pelo não pagamento da dívida com o Al Wahda, por conta da contratação não honrada de Denílson, em 2016. A entidade descontou 6 pontos do clube mineiro para o início do próximo Campeonato Brasileiro da série B. 

Sobre a decisão da Fifa, a CBF, em resposta ao portal “GloboEsporte”, emitiu uma nota falando sobre a punição: “O prazo que acabou nesta segunda-feira (18) foi passado ao clube há 90 dias. Durante todo esse processo, havia ciência das obrigações e da sanção. Assim que o período definitivo dado pela FIFA foi encerrado, a CBF notificou a federação e o clube sobre a punição: a perda de seis pontos. A pena será aplicada assim que forem iniciadas as competições nacionais”

Foto: Getty Images
João Felix

Com isto, é muito improvável que o Cruzeiro reverta a situação judicialmente. Especialistas seguiram essa linha em publicações: “Impossível a anulação. Pode ter recurso, mas tentativa desnecessária. Ainda é preciso um investimento substancial neste recurso. Assim, posso cravar que a punição de seis pontos é definitiva”, disse um advogado que preferiu não se identificar.

O que é um pesadelo para o time celeste, portanto, pode ainda piorar. Isto porque a Fifa estipulará novo prazo para o clube sanar sua dívida com o time árabe, que gira em torno de R$ 5,3 milhões. Caso mais uma inadimplência ocorra após isto, a entidade poderá rebaixar o Cruzeiro para a série C do Brasileirão.

Acabou por aí? nada disso. O clube ainda possui pendências com o Zorya por conta do atacante Willian. O prazo para acerto de contas, que gira em torno de R$11 milhões, vence no dia 29 deste mês. Mais seis pontos serão descontados do time caso não paguem. E também, uma ordem de rebaixamento pode ocorrer neste caso da mesma forma que na ação de Denílson. Resta saber se, uma punição de rebaixamento, acumula para os dois processos, rebaixando o Cruzeiro para a série D. A situação é tão sombria que jamais ocorreu no futebol, e foge do conhecimento dos especialistas.

O presidente do conselho gestor do clube disse, à rádio “Itatiaia”, que planeja reverter a decisão: “A gente não conseguiu esse valor e aconteceu a situação. Mas queremos deixar bem claro que não deixamos de tentar e negociar. Vamos tentar um revés para recuperar os pontos e fazer o acordo”. A declaração vai de encontro ao que disse mais cedo outro membro do conselho, Gustavo Gatti, de que o time recuperará os pontos “dentro de campo”.

Tags

Em destaque