Carregando

Buscar

Futebol

“Melhor que a vida aí fora”: Ex-Sporting sobre rotina na prisão

Compartilhe

O ex-jogador do Sporting, Koke, está preso há seis meses em Málaga, na Espanha, após envolvimento com tráfico de drogas.O espanhol, que representou o time português em 2005/2006, relatou o dia-a-dia na prisão em entrevista concedida ao jornal “El Desmarque”. 

“Sou malaguenho, quase todos me conhecem aqui. Quando cheguei, estavam à minha espera. Quando falamos de futebol aqui somos todos iguais. Há padeiros, pedreiros, gerentes, ex-jogadores de futebol… Mas estamos todos na prisão, não tenho privilégios, o respeito é conquistado pelo que cada um é”, disse Koke por escrito ao veículo.

João Felix

Ainda acrescentou: “Nada é como imaginávamos. Nem o mau é tão mau, nem o bom é tão bom. Cada um tem a sua história, o seu coração. Não julgo, gosto de ouvir, gosto de ajudar e é o que mais faço cá. Há pessoas muito boas e interessantes na prisão”.

O ex-jogador ainda comparou sua vida dentro da prisão com a que as pessoas levam em liberdade. Para ele, os detentos estão tendo vantagens, principalmente durante a pandemia de coronavírus.

“A situação aqui não é má. Estamos todos bem e talvez tenhamos estado melhor do que vocês aí fora durante este tempo. Podemos correr, treinar… sinto-me seguro, há pouco risco de contágio. Estou mais preocupado com a minha família lá fora do que comigo», explicou, acrescentando que, mesmo antes da pandemia, não via os seus familiares”

Kobe foi preso em uma mega operação envolvendo 15 pessoas. Ele e seu irmão foram detidos por tráfico de drogas. Foto: Reprodução/Jornal

Embora sinta falta de futebol, o ex-atacante disse que não costuma jogar na prisão e ocupa o tempo de outra forma: “Sinto falta, o futebol é quase toda a minha vida. Eles jogam aqui todos os dias, mas só joguei uma vez, não jogo porque não gosto de bolas de futsal. Aqui os dias são muito compridos, mas tens de te adaptar. Eu faço quase todos os dias a mesma coisa. De manhã vou ao ginásio, depois jogo parchís [jogo de tabuleiro popular em Espanha]. Antes da covid-19 estava a fazer um curso de cultura empreendedora, mas agora está parado. Também aproveito para ler o código penal, coisa que não faria lá fora, mas aqui há tempo para essas coisas”. 

Tags

Em destaque