Carregando

Buscar

Futebol

Grêmio e Internacional terão de suspender seus treinos presenciais

Compartilhe

Decreto do governo obrigará que clubes repensem os treinamentos

Uma semana após voltarem aos treinamentos presenciais, a dupla Gre-nal terá que retornar com os treinos à distância. Isso porque o Governo do Rio Grande do Sul pulicará nesta segunda-feira um decreto que passará a proibir os treinamentos dos gigantes gaúchos.

Em entrevista coletiva por vídeoconferência, o governador Eduardo Leite revelou como o decreto impactará no funcionamento dos clubes. Segundo ele, o estado será subdividido em 20 regiões, classificadas por cores de acordo com número de casos confirmados da doença, mortes e risco de a pandemia avançar. A capital Porto Alegre estaria enquadrada na cor laranja, equivalente a “risco médio”. Desse modo, as atividades nos clubes esportivos não seriam permitidas.

Leia também:

Em live, Deyverson revela sonho do jogar no Vasco

Futebol de volta: Confira o cenário Alemão para o reinício

Lampard segue Mertens no Instagram e aumenta rumores

“A rigor, com o novo decreto, os treinos deverão estar restritos. O decreto é sobre funcionamento do clube esportivo, e o funcionamento estará vedado nestas condições. Na bandeira laranja, a determinação é que se suspenda as atividades em clubes esportivos. Só podendo funcionar na bandeira amarela, o que deverá acarretar a suspensão das atividades dos treinos nos clubes esportivos”, declarou.

Os treinos e jogos só poderiam ocorrer nas regiões de “risco baixo”, de cor amarela, que totalizam apenas seis entre as 20 áreas determinadas. Por conta disso, o governador considre “difícil” a retomada do campeonato nesta temporada.

“Na bandeira amarela podem os clubes esportivos funcionar com uma série de restrições, mas como fazer um campeonato estadual em que os times precisam jogar pelo território gaúcho, se alguma região poderia receber uma partida e outra não? Esta decisão de ter ou não é da Federação a partir dos protocolos estabelecidos. Parece difícil porque não conseguimos assegurar uniformidade no estado e concentrar o campeonato em uma região geraria um custo e uma dificuldade para operação, mas é uma decisão da própria Federação Gaúcha de Futebol”, finalizou.

Tags

Em destaque