Carregando

Buscar

Futebol

Fábio diz não ter havido critério na Seleção: “Não levaram os melhores”

Compartilhe

Em entrevista ao Fora de Jogo, do “Esporte Interativo”, o goleiro Fábio revelou insatisfação por jamais ter sido convocado para uma Copa do Mundo. Para o capitão do Cruzeiro, suas atuações seguras ao longo de vários anos deveriam ter rendido ao menos uma das três vagas em uma Copa.

“Na seleção não teve critério. Pelas temporadas que eu fiz, me destacando, jogando em alto nível, acho que muitos treinadores perderam esse critério. Olharam muito para jogadores que eles já tinham trabalhado e não levaram os melhores” opinou.

Segundo Fábio, os técnicos já tinham seus goleiros favoritos, independentemente das fases que viviam em campo, sendo confiança pessoal o critério que foi mais utilizado durante os últimos anos.

“Muitas vezes, treinador levou nomes pela amizade e não por merecimento. Eu tinha condição. Não é desrespeito aos que foram, mas pelo o que eu vinha jogando, pelas conquistas, pela intensidade, a forma como atuei nesses anos. Acho que eu poderia facilmente estar entre os três em uma Copa do Mundo. Reforço que, para mim, foi isso. Os treinadores agindo mais pela amizade, por terem estado ao lado de certo goleiro em alguma ocasião. Levou pela confiança. Foi isso que me fez ter menos oportunidades na Seleção” completou.

Apesar da mágoa, Fábio se disse realizado como jogador pela extensa carreira no Cruzeiro, onde alçou o status de grande ídolo do torcedor da Raposa. Sua carreira em Minas acumula 884 jogos e 12 títulos, sendo desde 2005 o goleiro titular da equipe, que disputará a Série B do Brasileirão pela primeira vez junto com sua equipe.

Em destaque