Carregando

Buscar

Futebol Top Teams

Vasco completa três meses de salários atrasados e teme debandada

Compartilhe

Clube corre contra o tempo para pagar salários e não sofrer com processos na justiça

O Vasco da Gama completou três meses de salários atrasados para seus jogadores nesta segunda-feira. Com isso, os jogadores do elenco profissional podem entrar na justiça e exigir a rescisão de contrato de forma unilateral, o que vem preocupando os dirigentes vascaínos.

Não é novidade que o clube de São Januário vem passando por problemas financeiros, e com a pandemia do Covid-19 muitos se perguntam como será possível salvar a Nau vascaína sem as receitas do futebol, paralisado desde março.

Leia mais:

Riquelme revela quais times brasileiros mais o preocupam na disputa da Libertadores

Copa de 70: Relembre o tri-mundial da Seleção

Internamente, o clube se mobiliza para tentar pagar pelo menos uma folha salarial em atraso, para não correr o risco de perder ativos importantes, considerados vitais para o orçamento do Vasco, como Talles Magno, Ricardo Graça, Andrey e Marrony, esperanças de vendas futuras para os cofres alvinegros.

No início desse mês, o presidente Alexandre Campello conseguiu quitar os débitos relativos às últimas folhas salariais de 2019, com exceção dos direitos de imagem, que foram pagos a cerca de 20% do elenco.

Um caso que ilustra a atual situação do Vasco da Gama é a situação do ex-treinador Abel Braga. Contratado no início do ano, Abel ficou cerca de três meses no comando técnico da equipe e não recebeu ainda um centavo sequer. Em sua primeira entrevista coletiva, o comandante “entregou” o presidente do clube. “Ele me disse: ‘Vou te pagar, mas não pense que vou te pagar em dia’”, afirmou o treinador.

Tags

Em destaque