Carregando

Buscar

Futebol Top Players Top Teams

Penta da Seleção: a trajetória e as curiosidades da última conquista

Compartilhe

Time canarinho venceu a então tricampeã Alemanha por 2 a 0 e conquistou a quinta estrela para o futebol brasileiro

Há quase 18 anos a Seleção Brasileira liderada por Ronaldo e Rivaldo derrotava a Alemanha por 2 a 0 e faturava o tão sonhado pentacampeonato mundial de futebol. A campanha foi impecável, com sete vitórias em sete jogos e 18 gols marcados, o Brasil faturou a taça com a melhor campanha da história das copas. 

Após uma classificação dramática nas eliminatórias, a seleção de Scolari chegou desacreditada para a Copa. Sem Romário, cortado por Felipão, a opinião pública achava que seria impossível se sair bem na competição. Ronaldo era uma incógnita, pois vinha de sua maior lesão na carreira, mas acabou como o artilheiro da Copa com sete gols, sendo os dois últimos na final, contra o melhor jogador da competição eleito pela FIFA, o goleiro alemão Oliver Kahn.

Leia também:

Kaká anuncia que será pai mais uma vez

Júlio César: “Zico é o rei, Gabriel é o príncipe”

Roberto Carlos surpreende ao revelar qual grupo mais o marcou na seleção

Veja abaixo algumas curiosidades da final da Copa:

O fator Kléberson

A Copa de 2002 ficou marcada pelas grandes atuações dos três R’s: Ronaldinho Gaúcho, Rivaldo e Ronaldo Fenômeno. Um coadjuvante, porém, foi um dos melhores em campo na final. O volante Kléberson, então no Athletico Paranaense, virou titular desbancando Juninho Paulista durante o torneio e, por pouco, não fez um gol na final. Muitos se lembram da bola no travessão no final do primeiro tempo, mas ele ainda teve mais três chances.

Milagre de São Marcos

O goleiro do Palmeiras foi decisivo na final. O jogo poderia ter tido outro desfecho, se a falta defendida pelo goleiro tivesse entrado. Todos se lembram da ponte que Marcos fez, e com as pontas dos dedos desviar a bola, que ainda bateu na trave antes de sair.

O fundamental Rivaldo

O camisa dez da seleção, e, para muitos, craque daquela Copa, foi importantíssimo na decisão. No primeiro gol, é dele a pancada de fora da área que fez o goleiro alemão dar o rebote nos pés de Ronaldo, que só teve o trabalho de escorar para o fundo das redes. No segundo, o famoso corta-luz que desmontou a defesa alemã e deixou o fenômeno livre para escolher o canto e fechar o caixão alemão.

 

Ronaldo: dois gols e “só”

A famosa brincadeira do mundo do futebol quando um jogador faz o gol mesmo tendo jogado mal. Ronaldo não vinha conseguindo jogar, sendo muito bem marcado pela zaga alemã. Até tentou sair para buscar o jogo, e dar suas famosas arrancadas, mas sem sucesso. As jogadas puxadas por Rivaldo foram fundamentais para os dois gols que colocaram o “cascão” do Brasil na história.

Tags

Em destaque