Carregando

Buscar

Futebol

Crise no Vasco pode aumentar com a perda de 6,8 mil sócios

Compartilhe

A crise parece não ter fim em São Januário. Os jogadores e funcionários que ganham acima de R$ 1.800 contam com dois meses de salário atrasados. O Vasco contava com as receitas da TV Globo e do programa de sócios para colocar os salários em dia, mas a rede de televisão suspendeu o pagamento das cotas referentes aos estaduais.

Deste modo, a principal fonte de receitas do cruzmaltino para manter o fluxo de caixa passou a ser a contribuição mensal dos sócios. Depois de alcançar uma marca histórica de adesão, o clube viu esse número cair nos últimos meses. Desde dezembro, quase 7 mil torcedores já se desassociaram.

O Vasco chegou a ter 185.404 associados e agora possui 178.597. O ‘boom’ dos sócios aconteceu por conta de uma promoção feita no fim do ano passado, quando os planos se encontravam pela metade do preço e quem assinasse na época manteria o desconto por seis meses.

O prazo para a renovação se aproxima e o presidente, Alexandre Campello, fez um apelo aos torcedores para que não deixem de contribuir. Caso aconteça uma debandada grande no número de sócios, o clube carioca terá muitas dificuldades de honrar seus compromissos com seus atletas e funcionários.

Ver essa foto no Instagram

Saudade... 🔥💢♥️ 📸 Rafael Ribeiro/Vasco #VascoDaGama #VascainosEmCasa

Uma publicação compartilhada por Vasco (@vascodagama) em

Apesar de ser o time com o maior número de associados no Brasil, o Vasco não é o que mais arrecada. A previsão é de arrecadar 3,5 milhões de reais por mês com o programa. Já o Flamengo, seu rival, arrecada cerca de 7,5 milhões mensalmente, mesmo tendo quase 65 mil contribuintes a menos. Isso ocorre por conta da diferença de valor dos planos em cada clube.

Tags

Em destaque